Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



quinta-feira, 18 de março de 2010

Louca Escapada

© Universal Pictures
Esta postagem foge da rotina aqui no Blog do Ikessauro, porque geralmente não costumo postar Fanfics de visitantes do blog, nem de minha própria autoria, mas vou abrir uma exceção para variar o conteúdo pelo menos hoje. Este texto, de título "Louca Escapada", não é de minha criação, mas enviada a mim via e-mail por Murillo Francisco. Todo o texto, incluindo título e conteúdo são de responsabilidade dele e não minha. Esta Fanfic é baseada no filme The Lost World: Jurassic Park. Clique para expandir a postagem e divirta-se.

O texto a seguir é de responsabilidade integral de Murillo Francisco, não modifiquei o texto em nenhum trecho. Espero que aproveitem.

LOUCA ESCAPADA
Mike corria pela selva a toda velocidade que suas pernas aguentavam. Não fazia nem uma hora que seu grupo havia escapado do ataque dos tiranossauros, deixando para traz várias vitimas, e já estavam sendo alvos de um novo ataque. Velociraptores, bem menores em relação aos tiranossauros, porem, muito mais numerosos e ágeis. Conforme se distanciava, os gritos agonizantes de seus companheiros iam ficando cada vez mais distantes, junto com os rosnados dos terríveis monstros que os atacavam. Mike era um renomado veterinário, especializados em animais exóticos e membro da equipe comandada por Roland Tembo. Tembo era um famoso caçador que já havia abatido todos os grandes predadores deste mundo, porem nem imaginava a espécie de predador que o aguardava nesta ilha. Quando Roland fez uma proposta a Mike a respeito de uma expedição a uma ilha ao redor da Costa Rica onde iriam capturar animais nunca vistos antes para um zoológico em San Diego, a proposta, e o pagamento oferecidos lhe pareceram simplesmente irresistíveis. Agora, um mês depois de ser contratado por Tembo, Mike daria qualquer coisa para sair daquela maldita ilha. Fazia apenas quinze minutos que o seu grupo havia sido atacado pelos raptores, mas para Mike pareciam ser quinze horas. No momento do ataque, Mike havia se abaixado para pegar uma barra de cereal dentro da mochila, tudo acontecendo muito rápido, só teve tempo para uma única reação instintiva, deitou-se no chão no momento em que ouviu o primeiro rosnado, seguido por um grito horripilante, ficando parado deitado no chão, petrificado de medo, esperando que algum raptor o descobrisse e cravasse as garras em suas costas.

A poucos metros de distancia de onde estava, seu carregador, Carlos, um costa riquenho de um metro e oitenta, gritava a plenos pulmões, enquanto tentava lutar desesperadamente contra o velociraptor que devorava seus intestinos espalhados pelo mato. Então, seu instinto de sobrevivência falou mais alto e Mike começou a rastejar para longe da matança, parando algumas vezes quando ouvia um rosnado mais próximo. A única explicação que encontrava por continuar vivo a cada minuto, era de que o numero de raptores era pouco, comparado ao contingente do grupo, e que o banquete era mais do que suficiente no local. Foi rastejando ate tomar coragem de se levantar e espiar por cima da grama alta, vendo a certa distancia varias caudas compridas se agitando no ar, de vez enquanto uma cabeça de lagarto aparecia, e espiava por todos os lados com movimentos rápidos, muito parecidos com os movimentos de um pássaro. Quando uma cabeça abaixava, outra em algum ponto aleatório do mato se levanta, como se estivessem sincronizados.

Mike continuou correndo meio abaixado, e então percebeu que os rosnados estavam ficando mais próximos, e o grito dos companheiros agonizantes, iam sumindo. Continuou correndo cada vez mais rápido, e entrou na floresta que margeava o matagal. O súbito silencio ao entrar na floresta foi assustador e Mike diminuiu a corrida, ate se tornar uma caminhada apressada. Tudo o que ouvia era o som dos seus pés pisando na mata, conforme adentrava na floresta, esta se tornava mais escura, e o seu medo aumentava. Finalmente não agüentando mais de canseira, parou para tomar fôlego. E percebeu que o único som que se ouvia era de seu coração, martelando alucinadamente em seu peito, sua cabeça doía devido ao esforço. Procurava lembrar-se do mapa que havia visto de relance durante uma das paradas do grupo naquela tarde. Lembrava-se que havia visto no mapa alguma instalação logo após uma área livre do mapa, que deveria representar o matagal, porém não se lembrava em qual direção ficava a instalação, e na verdade, nem tinha mais certeza de sua própria localização, acreditava ter corrido em direção ao oeste, mas não tinha certeza de mais nada, e o medo ainda era grande e nublava seus pensamentos. Continuou andando ate que parou de repente, percebendo que havia escolhido a direção errada. Ele havia entrado em uma pequena clareira, e era nesta clareira onde os Velociraptores haviam feito seus ninhos. Por sorte, não havia nenhum dinossauro no local, somente dezenas de ovos agrupados em vários ninhos. Percebendo o perigo que corria, Mike disparou pela mata novamente, e como se os raptores tivessem sido avisados que um intruso havia descoberto seus ninhos, começaram a persegui-lo. Correndo alucinadamente, Mike olhou para traz e viu um animal de mais ou menos um metro e meio de altura e uns dois de comprimento vindo a uma velocidade incrível atrás dele. Mike só teve tempo de agarrar-se ao galho da árvore mais próxima, bem no instante em que o velociraptor dava o bote. O raptor deu um pulo a uma distancia de três metros de Mike no instante em que ele se pendurava no galho, e o animal passou direto por ele. Subiu mais uns três galhos, afastando-se o máximo possível do chão. Ficou impressionado com a força e agilidade do animal. O Velociraptor ficou embaixo da árvore olhando para cima e andando de um lado para o outro, como um cão que encurrala um gato em cima de uma árvore. Logo em seguida, o animal começou a emitir uma espécie de chamado, curto, parecido com o pio de uma ave. De ver em quando o Velociraptor saltava, na tentativa de alcançar Mike no alto da árvore. Não demorou muito e mais quatro raptores juntaram-se ao pé da árvore, vindos do meio da mata. Começaram a saltar em direção a Mike, um após o outro, mas sem sucesso de atingi-lo. Mike permanecia imóvel, totalmente petrificado pelo medo, agarrado ao galho da árvore. Então de repente, todos pararam de atacar e começaram a inclinar a cabeça para os lados, virando-se para uma determinada direção da mata, como se escutassem algo. Mike prestou atenção e começou a ouvir uma voz chamando. A principio não conseguiu entender, mas logo identificou de quem era a voz. Era Iam Malcom, que chamava por Nick Van Owen, o fotografo da expedição. Foi então que Mike, olhando na direção da voz, viu que estava a algumas centenas de metros da instalação que vira no mapa naquela tarde, e era onde estava Malcom, junto da Dra Harding e de sua filha Kelly.

No mesmo instante os dinossauros, a um rosnado de um dos raptores, saíram em disparada na direção das instalações. Assim que eles saíram, Mike, sem hesitar, pulou da árvore e saiu correndo também na mesma direção, ele tinha que avisa-los do perigo que corriam, mas quando já estava chegando próximo ao local, recebeu um golpe violento nas costas, caindo de cara no chão, e sentindo uma dor horrível. Olhando por cima do ombro, viu um Velociraptor em cima dele, a enorme garra enterrada em suas costas. Mike tentou fugir, se arrastando, mas o dinossauro cravou mais fundo a garra, Mike abriu a boca para gritar, mais estava sem ar nos pulmões por causa da dor. E no mesmo instante o dinossauro agarrou seu pescoço com as mandíbulas poderosas, arrancando um enorme pedaço de carne. O sangue pingava da boca do dinossauro, e outros dois raptores apareceram, iniciando uma briga pelas melhores partes da presa que jazia sem vida no solo.

1 comentários :

TEM DE TUDO !!! disse...

Esse Murillo é muito criativo
Esse é um dos motivos por amá-lo
beijos
parabéns Mu