Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



quinta-feira, 10 de maio de 2012

Eu, Ateu: professores ensinando religião como ciência

Pessoal, não sei se você me conhece bem nas redes sociais, ou pessoalmente, mas quem já viu minhas ideias principalmente via Facebook ou falou comigo sabe que sou ateu, fui católico por muitos anos devido à influência dos pais, mas ao crescer e desenvolver meu pensamento próprio, afastei-me da igreja, perdi a fé e hoje sou contra o uso de dados bíblicos ou religião como meio para ensinar o conhecimento científico. Para saber onde este artigo quer chegar, clique em "Leia Mais" e confira o resto.


Em um colégio adventista, particular por sinal, os professores ensinam tudo com base na Bíblia, passando às crianças um monte de informações equivocadas sobre como a Bíblia é um registro histórico científico etc. Devo admitir que a Bíblia até têm um certo valor cultural e talvez, parcialmente histórico. Durante as últimas semanas a notícia que isso vem acontecendo deixou muitos indignados e vários vloggers começaram a comentar o assunto no You Tube. Um deles é o canal Eu, Ateu, que publicou um vídeo comentando toda a matéria e achei interessante compartilhar pra quem tiver interesse de ver. Na descrição do vídeo tem muitos links sobre a matéria original da escola, um vídeo de um paleontólogo explicando sobre fósseis e desmentindo o que dizem os professores da escola adventista, enfim, acho interessante assistir. E não esqueçam de curtir o vídeo e divulgar se gostarem. Eu sou ateu, não tenho nada contra os religiosos contanto que saibam onde é seu lugar. Local de religião é na igreja, no templo, na mesquita, em casa se você achar que deve, mas não na escola. Aliás, concordo com a abolição de aulas de religião nas escolas brasileiras, uma vez que a constituição do Brasil o define como um Estado Laico.

7 comentários :

Paulo Mischur Neto disse...

Meu amigo nessa vida todos temos o livre direito de escolher o que acho certo ou errado, certo ?
então e muitos país colocam os filhos na escola Adventista porque os país querem que os filhos se desenvolva no caminho certo. Se um pai não quer isso de seu filho basta somente colocar ele em um colégio que não ensine as doutrinas bíblicas, se quando a criança quando se desenvolver e já for adulta e tiver maturidade suficiente ela pode escolher o que ela julga certo ou errado. E pronto tudo resolvido, não ah necessidade de fazer insultos contra o colégio Adventista.

Analise as seguintes frases:

-Passando ás crianças um monte de lorotas e bobagens

-Não tenho nada contra os religiosos

(frases ditas no post)

Se você não tem nada contra os religiosos não presisava fazer uma postagens com esses insultos ¬¬

Existem colégios de todos os tipos se os país da criança não querem isso para os filhos , coloca em um que não ensine isso, simples assim!

E é possivel sim explicar a teoria dos dinossauros com base na bíblia.

Enfim tenha um pouco mais de respeito com uma religião que você não conheçe por inteira.

Bio Formando disse...

Já vi algumas palestras sobre esse tema e acho bem interessante tem alguns professores que no mestrado e doutorado de ensino de evolução ensinam mesclando religião com ciência e o resultado e bem interessante se quiser saber mais e só visitar o site da pós da unb em ensino de ciência que lá tem algo mais.

Patrick disse...

Paulo

Sim, cada pai tem direito de escolher o que será ensinado ao seu filho, concordo. Azar é do filho depois.
Muitas vezes, ao estar na idade em que seria capaz de escolher por conta própria já tem as ideias tão incutidas em sua mente que nem se dá ao trabalho de questionar, por medo ou preguiça muitas vezes.

Sim, falei lorotas e bobagens e mantenho o que digo.
Dizer que o planeta tem 6 mil anos, que os fósseis foram formados no dilúvio e ainda mais que podemos usar a bíblia e a religião para explicar fósseis e ter a cara de pau de dizer que é de maneira racional, científica, é forçar a barra!

Desprovar a evolução com "evidências" de que o criacionismo tá certo é papo furado. Se pudessem fazer isso, se houvesse mesmo evidências, não havia mais discussão, já teriam convencido a todos.

Basta enviar tal evidência por meio de um estudo completo, documentado e comprovado para ser avaliado e publicado num períódico científico e pronto, todos deixariam de duvidar de deus. Mas não, ninguém mostra a tal evidência que supostamente existe.

Não tenho nada contra os religiosos... deixa eu elaborar nessa também.

Não tenho nada contra religiosos que tem sua fé, acreditam e ensinam a religião de forma tradicional, COMO RELIGIÃO, DENTRO DA IGREJA, NA CATEQUESE, NA MISSA, CULTO ETC. Religiosos tem o direito de ensinar suas crenças aos filhos em casa.
Mas quando começam a tomar o lugar de professores e ensinar mitologia bíblica como fatos comprovados cientificamente, aí é que discordo. É o que a escola em questão vem fazendo ao que tudo indica.

Espero ter esclarecido alguns pontos.

Brunochavesanimais disse...

Bem eu sou ateu também e fui católico, acho que o professor errou feio, pois concordo com o patrick, religião se ensina nas igrejas e não nas escolas. na minha opinião religião é algo pessoal, pois até mesmo dentro de uma mesma religião existem divergências de opniões. também postei um vídeo no youtube comentando o caso.

O mundo da pré-história disse...

Bom, eu sei que você não vai com a minha cara, por ter baseado diversos posts meus no seu trabalho. Contudo, muito antes de ser blogueiro,fui seu visitante e assim reivindico direito de debater sobre este assunto.
É claro que os professores de colégios adventistas se precipitam em ensinar os textos bíblicos como fato científico. Pois bem, afinal o que é um fato científico? A ciência já foi tão cega a ponto de o que sabia-se no passado ser rejeitado no presente. E é provável que daqui a mil anos tudo quanto sabemos hoje seja rejeitado como "bobagens e lorotas" assim como você descreve os antigos e deturpados ensinamentos católicos. Azar! Mas também banir a Bíblia, ou qualquer escrita sagrada ao campo dos contos de fada já é demais! Quem sabe sua veracidade não esteja nas entrelinhas? Estar escrito que Terra tem 6 mil não quer dizer que seja isso exatamente. Até porque as datações na Bíblia são uma bagunça mesmo.
Peço-lhe um pouco de compaixão: Suponha apenas, usando suas concepções racionais, que há 4 mil anos Moisés tenha recebido o conhecimento e orientação de "alguém". E como homem racional, fundamentado nas ciências e na História, você não deve negar a existência e Moisés e muito menos argumentar que ele simplesmente inventou o Pentateuco. Independentemente da "fonte", Moisés teria interpretado e transcrito, tal conhecimento à sua maneira, com base no que conhecia e entendia. Assim muito do que fosse verossímil e factual teria se perdido nos devaneios de um antigo, ao qual as intenções e concepções nos são ininteligíveis. Bem como, as nossas a ele.
Isso se aplica a qualquer autor da Bíblia e de qualquer outro texto antigo. Seja ele sacro, ou ímpio. O que quero lhe dizer, mais do que repreendê-lo por seu comportamento arrogante e preconceituoso; é abrir-lhe os olhos, que a Bíblia e o Cristianismo primitivo vam além de quaisquer ideias concebidas por adventistas ou católicos atuais, tão cegos e arrogantes quanto você agora.
Eu fui criado católico, como você. Me opus às doutrinas vigentes, como você. Entretanto, hoje, me coloco um passo a frente, compreendendo que existem verdades mais elevadas do que católicos ou cientistas, em oposição podem reconhecer. Que tanto religião é uma velha carrancuda, quanto a ciência é tola adolecente do "acredito se você provar".
Assim, dito o que foi dito. Espero que talvez, só talvez. Quem sabe o mestre possa aceitar uma lição do aprendiz. Se talvez, e só talvez você possa acreditar que quem disse isto:
"Aquilo que é impenetrável para nós existe de fato. Por trás dos segredos da natureza há algo sútil, intangível e inexplicável. A veneralão a essa força que está além de tudo o que podemos conceber é a minha religião".
Foi meu venerável mestre, maior mente do século passado e uma das maiores de todos os tempos. Ao qual ouso igualar à você e à von Daniken: Albert Einstein.

Patrick disse...

Oi Gabriel (O Mundo da pré-história).

Que nada cara, não tenho nenhum problema com você. Isso de eu não ir com sua cara está só na sua imaginação, não guardo mágoas em relação a você nem ninguém por motivo algum.
Enfim, adorei seu comentário, até reformulei minha postagem um pouco, para que o texto apresente uma linguagem mais decente, você tem razão, quando escrevi o texto eu fiz com certa impulsividade e fui arrogante mesmo. A ciência está longe de explicar tudo e acredito que continuará assim por muito tempo. Com o passar de cada dia aprendo um pouco mais, seja com quem ou o que for. Hoje você me ensinou um pouco de humildade, obrigado cara!
Só queria comentar uma coisa que você disse, que não concordo 100%.
Aqui o trecho do seu comentário que quero ressaltar:

"É claro que os professores de colégios adventistas se precipitam em ensinar os textos bíblicos como fato científico. Pois bem, afinal o que é um fato científico? A ciência já foi tão cega a ponto de o que sabia-se no passado ser rejeitado no presente. E é provável que daqui a mil anos tudo quanto sabemos hoje seja rejeitado como "bobagens e lorotas" assim como você descreve os antigos e deturpados ensinamentos católicos."

Devo dizer que sim, é possível que daqui a 5,10 ou 500 anos, seja qual for a quantia de tempo, muito do que tomamos como certo pelo ponto de vista científico pode ser em parte desmentido. A diferença é que a ciência nunca se desmente por completo. É um processo gradual. Alguém estuda, sugere algo, uma hipótese, testa-se a tal hipótese, os resultados são avaliados e chega-se ao resultado. Muitas vezes o resultado é inconclusivo e anos depois aquilo que na primeira vez foi tido como certo finalmente cai por terra. Mas nunca a ciência cai completamente por terra. Imagine a ciência como uma casa. Os construtores (cientistas) vão construindo-a. Algumas vezes notam que certo material não era adequado ou um determinado ponto da estrutura apresenta uma falha. Mas eles não derrubam tudo até o alicerce pra começar do zero. Apenas consertam o erro e aproveitam o resto que estava bem feito. A ciência sim, erra muito, porém se permite corrigir, evoluir para melhor, aproveitando as partes boas (teorias comprovadas) junto com novas hipóteses para explicar problemas novos.
Enfim, acho que com essa breve explicação você entende o porque a ciência não deixa de ser completamente verdadeira.
Se quiser conversar mais não deixe de me contatar, fico feliz em bater um papo contigo.

Abração
Patrick

Gabriel Sousa Correa disse...

Beleza, Patrick! Fico feliz de ter ajudado. Sinto muito ter generalizado e banalizado o fator de auto-regeneração caracterizado pela flexibilidade da ciência. Embora, em síntese, eu queira salientar que muitas vezes a elite científica permanece relutante em aceitar o aparecimento de novas ideias; cabendo às novas mentes renovar e, ousar mais, nesse maravilhoso campo do saber humano.
O que, claro, dificilmente ocorre no campo religioso.
Contudo, novamente, justificando o que disse anteriormente, esse fator fascinante, conhecido pelos capitalistas como o progresso da ciência; tenha passado por verdadeiros desabamentos ( a metáfora da casa ), sendo alguns deles a própria carta magna compartilhada por nós dois: a Teoria de Darwin, em a Evolução das Espécies ( 1859 ) e; outros como a queda do sistema teocêntrico que começou com Copérnico e só se concretizou em 1729,( depois de ter passado pelos grandes mestres, Galileu, Kepler e Newton ) com James Bradley.
Obrigado por me ler!