Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Albertonykus borealis: o dino anão da América do Norte

Imagine como seria a visão de mundo de um pequeno homem em um mundo de gigantes. Conseguiu? Pois esta visão de mundo pertenceu a um dinossauro canadense, sobre o qual você aprende mais nesta postagem.

O mini dinossauro em questão é o "tampinha" Albertonykus borealis, um dinossauro terópode tão pequeno que demorou a ser notado em meio à fósseis de dinossauros maiores. O esqueleto deste dino estava na Formação Red Deer River, junto com vários fósseis de Albertossauro, por isto os paleontologistas demoraram para ver que havia um pequeno animal naquele lugar.

O dino anão mede cerca de 70 centímetros apenas e viveu no período Cretáceo no Canadá, habitat em que provavelmente caçava comida, que era composta principalmente de insetos e filhotes de animais, pois devido ao seu tamanho nunca conseguiria atacar um animal grande. Deveria atacar libélulas e arrancar cupins e formigas de seus ninhos usando as garras, o que nunca se observou em dinossauros antes.

Reconstrução do Albertonykus
© Eduardo (karkemish00)

Albertonykus (2)

O que animou os paleontólogos foi ter descoberto a presença de um animal pequenino e de um gênero ainda não descoberto, mas principalmente porque ele pertence a uma família que jamais foi encontrada na América do Norte, a família Alvarezsauridae. Este grupo de dinossauros abriga pequenos terópodes, a maioria com menos de 1 metro de comprimento, mas só haviam sido encontrado membros desta família na Ásia e América do Sul.

Pode ser que há 70 milhões de anos, os Alvarezsauridae tenham migrado da Ásia para América do Norte ou vice-versa, explicando mais um pouco a evolução dos animais.

É galera, as descobertas estão pegando fogo ultimamente, temos aí grandes descobertas como o novo saurópode brasileiro, novas descobertas de Tarbosaurus na Mongólia, uma nova espécie de raptor, pegadas de maniraptores entre tantas outras descobertas, espero que em breve uma notícia de um grade achado chegue até nós não é, a paleontologia anda meio parada no Brasil e quem sabe com umas descobertas o povo não se reanima de estudar.

Fonte

1 comentários :

dr.carlos disse...

Olá Amigos!
Mas cadê as penas primitivas desse terápode? seria muita ignorância não colocar penas nesse dinossauro, isso remontaria aos tempos da descoberta dos primeiros "paleontólogos" que pensaram que os dinosauros fossem simples répteis e lhe deram uma pele semelhante nos modelos!