Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



terça-feira, 27 de outubro de 2009

Pliossauro gigante foi encontrado na costa de Dorset

Este feroz predador, do grupo dos répteis marinhos chamados Pliossauros, que são Plesiossauros de pescoço curto e cabeça grande, viveu há cerca de 150 milhões de anos atrás nos oceanos do planeta Terra. O crânio mede 2,4 metros de comprimento e experts dizem que poderia ser este o maior de todos os pliossauros já encontrados: medindo talvez mais de 16 metros. Veja mais sobre esta notícia expandindo a postagem.

O fóssil, o qual foi encontrado por um caçador de fósseis da região, foi comprado pelo Conselho da cidade de Dorset.
O valor pago foi de cerca de 20 mil libras, que seria aproximadamente 65 mil reais no Brasil. O dinheiro veio do Heritage Lottery Fund, que é uma espécie de poupança acumulada a partir da loteria britânica e que é destinada a gastos com patrimônio cultural. Segundo David Tucker, conselheiro dos museus locais, o objetivo é comprar fósseis encontrados na costa jurássica para estudo e exposição nos museus locais. O fóssil, foi comprado e agora será estudado, após ser cuidadosamente preparado. Ao final do estudo este será posto em uma exposição no Museu de Dorset.

O paleontologista Richard Forrest contou à BBC: "Eu havia escutado rumores que alguma coisa grande tinha sido achada. Mas vendo essa coisa em de perto, então ele pode dizer, é de cair o queixo. É simplesmente enorme"
Pliossauros foram répteis marinhos gigantes, formalmente considerados plesiossauros, e viveram durante a Era Mesozóica. Eles tinham pescoço curto e cabeças enormes com dentes proporcionalmente grandes e mandíbulas poderosas, assemelhando-se aos crocodilos.

Usando quatro nadadeiras para dar propulsão ao corpo robusto através da água, eles conseguiram facilmente caçar Ictiossauros ou plesiossauros menores. David Martill, um paleontologista da Universidade de Portsmouth, disse: "Essas criaturas eram monstros. Eles tinham músculos grandes e massivos no pescoço, e você pode imaginar que eles mordiam um animal e podiam segurar muito bem, e então com aqueles músculos massivos do pescoço eles provavelmente destroçavam o animal tirando pedaços dele." "Seria praticamente um banho de sangue".
Este exemplar que é o último encontrado deste grupo pode ser o maior pliossauro já encontrado. Dr. Martill disse: "Essa coisa é absolutamente enorme. Quando eu o vi, me chocou perceber o quanto isso realmente é grande"
O fóssil é composto de uma mandíbula inferior e um crânio. E baseado no comprimento deste crânio, 2,4 metros, estima-se que a criatura atingiu tamanhos entre 10 e 16 metros de comprimento, medindo da ponta da cauda até o focinho, com média de peso de cerca de 7 a 12 toneladas. Isso significa que compete com achados recentes de proporções titânicas, como "O Monstro de Svalvard" e o "Predador X", além do "Monstro de Aramberri" achado no México, os quais são todos estimados em cerca de 15 metros.
Dr. Martill ainda diz: "Nós só achamos a cabeça, então você não pode ser absolutamente preciso. "Mas ainda assim este pode competir com os espécimes de Svalbard e do México pelo título de maior do mundo".

O fóssil ainda está grudado em pedaços de rocha, sem ter sido limpo, mas está claro que foi muito bem preservado. Richard Forrest, um especialista em plesiossauros, disse: "Crânios de pliossauros são muito grandes, mas não muito robustos, em geral, e você a tendência é encontrá-los quebrados e esmagados - praticamente uma panqueca fóssil". "O que é fantástico sobre esse novo crânio, não somente o fato de ser absolutamente enorme, mas é que está bem preservado em forma 3D e não muito distorcido. Você tem essa maravilhosa mandíbula e pode ver a partir da grossura que era imensamente forte. Poderia devorar um humano em uma única engolida, de fato, alguma coisa como um T.rex poderia ter sido o café da manhã para uma fera como esta."
O fóssil foi descoberto por um coletor de fósseis local na Costa Jurássica, uma faixa de 150 quilômetros entre Dorset e East Devon, que contém 185 milhões de anos de história geológica preservada em suas rochas. As autoridades não querem revelar o ponto exato do achado, com medo que outras pessoas queiram procurar fósseis no local. A precaução não é porque não desejam que encontrem os ossos, mas porque a região é perigosa, sujeito a desmoronamentos e quedas de rochas, que poderiam machucar seriamente possíveis caçadores de fósseis. Richard Edmonds, gerente de ciências do Conselho de Dorset afirma que "Essa parte da costa está sofrendo erosão rapidamente e isso significa que fósseis antes presos na rocha acabam sendo expostos e indo parar até nas praias. " O caçador de fósseis foi sortudo o suficiente para estar no lugar certo e dia certo em que um grande fóssil caiu da encosta, e deu a ele a chance de examinar um local específico. Ele gastou os próximos 4 anos indo ao local, dia após dia, e como resultado descobriu esse absolutamente incrível fóssil. Foi um empenho incrível."

Dr. Edmonds acredita que o resto deste gigante deve ainda estar na rocha, mas pode ser que leve décadas para ser completamente removido. Segundo ele, o terreno é inclinado demais e o animal grande demais para ser escavado, então teremos que esperar até um novo grande deslizamento de terra revelar novos ossos.

Agora os pesquisadores debatem como e quando vão preparar o fóssil para estudo, talvez conseguindo com esta pesquisa aprender mais sobre estes animais e sua vida, bem como a vida nos oceanos pré-históricos.

Fonte

1 comentários :

Josenias Ribeiro disse...

Será que o Mosassauro pode perder a fama? Kkkk