Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Crocodilo com dentadura de mamífero

Fóssil do crocodilo
© Patrick O'Connor, Ohio University

Eu sei, o título parece estranho não é? Pois é isso aí, encontraram na África, em 2008, um crocodilo bem estranho, capaz até de rivalizar a bizarrice dos exemplares brasileiros encontrados na região de São Paulo. Se você quiser conhecer alguns destes animais do Brasil, pesquise aqui no blog na categoria notícias! Voltando ao bicho da África, ele teria uma estranha característica jamais vista em outros répteis deste tipo, que é a presença de um crânio com dentes semelhantes ao dos mamíferos carnívoros! Para saber mais veja o resto da notícia!

O estranho esqueleto do animal estava preso em arenito, com o crânio oculto e com a cauda enrolada em torno do corpo, praticamente um esqueleto articulado. O local é a Tanzânia, que há 105 milhões de anos era o lar do bizarro animal, que tinha o tamanho de um gato e características que não seriam estranhas se aparecessem num mamífero - tinha um corpo esbelto, longas pernas, crânio curto e uma variedade de dentes para cortar e agarrar sua comida. Mas a criatura não era um mamífero - ela era um crocodilo!
O "recém" descoberto Pakasuchus tem muitas características marcantes tipicamente associadas à um crocodiliano - o grupo que inclui crocodilos modernos e jacarés. Mas era muito diferente destes parentes ainda viventes, e algumas de suas características eram tão "mamalianas" que seu nome até mesmo significa "Crocodilo Gato".
Representação do animal vivo em habitat e comparação em tamanho com gato
© NSF

Agora tente imaginar o crânio deste réptil. Todos os crocodilos modernos tem um focinho cheio de dentes cônicos maciços. Eles abocanham suas presas com uma mordida poderosa, antes de engolir a mesma inteira. Mas o Pakasuchus tinha um diverso conjunto de dentes, incluindo caninos perfurantes e molares para agarrar com força. Tinha até mesmo dentes adaptados para cortar carne, molares pontudos e afiados, como os dos mamíferos carnívoros modernos. Esse crocodilo antigo claramente comia sua presa de um jeito bem diferente.
Ele é a prova cabal de que crocodilos viventes são só uma pequena amostra do que foi um dia uma linhagem incrivelmente variada, que chegou a diversas formas, tamanhos e estilos de vida.
O Pakasuchus viveu no Cretáceo Médio, quando os continentes estavam começando a se separar em massas de terra correspondentes à atual configuração do planeta. No hemisfério norte, pequenos mamíferos estavam surgindo, explorando e aproveitando todos os tipos de oportunidades ecologicas novas, enquanto dinossauros vagavam sobre suas cabeças. Mas no hemisfério sul, pequenos mamíferos eram relativamente raros e crocodilos acabaram preenchendo seu papel no ecossistema, usando adaptações anatômicas semelhantes.
O Pakasuchus caça uma libélula
© Mark Witton

Patrick O'Connor da Universidade de Ohio liderou a equipe que desenterrou o pequeno crocodilo na área da bacia do Rukwa Rift, na Tanzânia. Ele nomeou o bicho como Pakasuchus kapilimai, com base na palavra que significa "gato" na lingua Kiswahili, juntando com a palavra "suchus", do grego, significando crocodilo. O segundo nome, definidor da espécie, é uma homenagem ao professor Saidi Kapilima, que foi muito importante para a excavação.
A equipe encontrou diversos espécimes do Pakasuchus, mas um em particular estava em excelente condição de preservação. A boca do animal estava fortemente fechada quando morreu, então O'Connor usou um scanner médico para estudar os detalhes de sua incomum mandíbula e dentes. Os scans revelaram que o Pakasuchus tinha só 13 dentes, muito menos que seus parentes modernos. Os dentes eram bem diversos, como o filme mostra a seguir. E seus molares encaixam extremamente bem, e poderiam triturar ou raspar comida com a ajuda de uma mandíbula bem móvel. Esses aspectos são quase padrão nos mamíferos, mas não havia precedentes em crocodilos até agora.
© Patrick O'Connor
video


As características bizarras do Pakasuchus não acabam na boca. Ele tinha longas e esbeltas pernas e narinas na ponta frontal do focinho, sugerindo que viveu na terra. Crocodilos modernos, que caçam principalmente na água, tem pernas curtas, pois usam a cauda para nadar e as narinas estão no topo do focinho para permitir que respirem facilmente enquanto estão boiando na superfície.
O Pakasuchus também não tem pesadas placas osteodermicas, que são encontradas em praticamente todos os outros crocodilos, tanto vivos quanto extintos. Sua cauda é o único local do corpo que tem a armadura. O'Connor imagina que essa espécie era um caçador ativo que abriu mão de uma proteção mais reforçada em prol da agilidade e velocidade.Comparando o esqueleto inteiro do Pakasuchus ao de outros crocodilos variados, O'Connor descobriu que pertenceu a um grupo extinto chamado de notosuquios. Ela linhagem é famosa por sua diversidade. O Pakasuchus foi o único com molares que encontraram, mas os outros tinham suas próprias adaptações igualmente bizarras.
Estes estranhos crocodilos incluem o Chimaerasuchus, que é herbívoro, o Notosuchus com um focinho parecido com o de um porco e dotado de bochechas, o Armadillosuchus, com uma armadura óssea igual a de um tatu, o bizarro Yacarerani, com dentes iguais ao de coelho e ainda o Anatosuchus com um largo focinho em forma de bico de pato, com dentes é claro!
Todas essas espécies foram criaturas de tamanho médio, terrestres, com características e habitos que são certamente incomuns em crocodilos típicos. Eles foram uma parte altamente bem sucedida do ecossistema cretáceo, adotando estilos de vida que os mamíferos estavam desempenhando no hemisfério oposto. Talvez a eventual aparição de concorrentes mamíferos, ou uma mudança ambiental significativa, decidiu o destino destes crocodilos bizarros. Não importa qual seja o caso, está claro que as espécies de hoje são só a pontinha de uma linhagem uma vez diversa.

Fonte

0 comentários :