Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



sábado, 11 de setembro de 2010

Uma garra terrível incomoda muita gente, duas garras ...

Balaur em vida
© Sergey Krasovskiy

Oi pra você que lê essa matéria. Acho que você já deve ter visto ao menos um leve rumor sobre esse novo dinossauro se você é um dinomaníaco que vive na internet olhando novidades em sites sobre o assunto ou mesmo em sites de relacionamento. Pela falta de tempo tenho postado pouco no blog, mas assim mesmo, meio atrasado, estou aqui trazendo a novidade. Se não viu, espero que goste do artigo sobre um raptor encontrado na Europa, que surpreendentemente possui duas garras terríveis em cada pé! Veja tudo sobre ele no resto da postagem.



O bicho foi encontrado na Europa, com idade aproximada de 65 milhões de anos de idade, no finalzinho do Cretáceo. O animal recebeu o nome Balaur bondoc, e viveu no que hoje é a Romênia, mas que no Cretáceo era uma ilha, uma de várias que compunham aquela região que estava coberta por um mar de nível mais alto.
Zoltan Csiki, da Universidade de Bucareste, disse que a morfologia do bicho é tão estranha que não conseguiam definiri o grupo exatado para classificá-lo. Media cerca de 1,80 metros e apesar de ser um Dromaeossaurídeo, o "B. bondoc é pesado, com braços surpreendentemente robustos e ossos fundidos," disse Mark Norell, do Museu Americano de História Natural (leia-se Museu Estadunidense de História Natural) que é co-autor do artigo. O nome Balaur bondoc significa "Dragão Robusto" na língua romena arcaica.
Tinha ossos fundidos indicando músculos maciços e nas suas patas os dois primeiros dedos possuíam "garras terríveis", como as do Velociraptor e Deinonychus. Esse é o fato mais estranho do animal, pois nenhum outro dromaeossaurídeo tinha duas garras desse tipo em cada pé.
Fóssil de uma das pernas do animal
©
PA


O animal é um dos mais completos predadores encontrados até hoje, com os fósseis incluindo braços, mão, vértebras, pernas, pé, costelas, quadris e cauda.
Fósseis achados
©
Csiki et al.
Segundo um dos autores do artigo publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences, neste último 30 de agosto, o Balaur nos traz uma nova visão de uma nova categoria de predadores. Ele era mais robusto e provavelmente caçava de forma diferente dos demais dromaeossauros. Ele deve ter privilegiado ataques com força em vez da agilidade. Apesar de ilhas terem animais quase sempre diferentes dos encontrados no continente, o parentesco do Balaur com raptores da América do Norte e da Ásia ainda mostra que as formas de vida das ilhas daquele local mantinham certa ligação com as formas continentais. Mas apesar de tudo, o Balaur ainda conseguiu evoluir de forma estranha, desenvolvendo as duas garras num pé só. Alguns ainda acham que pode ser uma mutação genética do animal, não acontecendo em toda a espécie. Só futuras pesquisas dirão mais sobre isso com mais clareza.
Mais uma reconstrução do bicho
©
Emily Willoughby

Fonte

3 comentários :

Operários disse...

UAU! Fiquei impressionado com esse animal.

dinowold disse...

tudo indica que é uma anomalia
ou a garra traseira

Rafael Augusto disse...

Seria super legal se esse animal fosse lançado pela Papo