Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Allosaurus


Arte por Brasílio Matsumoto
©
 Nestlé/6B Estúdio?
 


Veja em mais detalhes quando viveu o Allosaurus!
© Patrick Król Padilha
Reconstituição dos órgãos internos e músculos do Allosaurus
© Scott Hartman

O Allosaurus, um dinossauro terópode de grande porte, viveu na América do Norte e Portugal, mas existem indícios de que pode ter vivido na Tanzânia. Carnívoro caçava desde ornitópodes como o Dryosaurus até os enormes saurópodes Diplodocus e Apatosaurus ou os bem protegidos Stegosaurus, seus contemporâneos do final do jurássico. A espécie mais conhecida é o Allosaurus fragilis, também a primeira a ser descoberta e a mais completa. Primeiramente batizado como Antrodemus, a espécie foi renomeada em 1877 pelo famoso Othniel Charles Marsh. Vários esqueletos de alossauro foram encontrados antes, mas seus descobridores são de difícil reconhecimento, pois naquela época de final de 1800, a guerra dos ossos estava forte com a correria de novas descobertas, ossos acabavam se perdendo em depósitos e eram deixados para ser analisados mais tarde, como intuito de poder achar mais fósseis que os concorrentes em vez de ficar nomeando os dinos.
Desde sua descoberta, o alossauro teve muitos nomes entre eles Creosaurus, Antrodemus, Apatodon, Labrosaurus e Epanterias que foram dados por paleontólogos diferentes que encontravam os fósseis e os nomeavam. Porém, se baseavam em fósseis muito fragmentados e por isso não se pode ter certeza de qual espécie era. Antrodemus foi o nome mais aceito e por mais de meio século usaram este nome pois o nome Allosaurus foi criado depois e geralmente o nome mais antigo prevalece. Só muitos anos depois, James Masdsen usou em sua monografia sobre este dinossauro o nome Allosaurus e conseguiu fixá-lo como oficial para a espécie pois o fóssil usado por Marsh para nomear era mais completo que o Antrodemus.

© Joe Tucciarone
Existem contradições entre as espécies, que na maioria são sinônimos de A. fragilis, como por exemplo A. europaeus de Portugal e A. atrox e A. amplexus também são sinônimos. O dino A. maximus é tido como sinônimo de Saurophaganax. Outras como o A. jimmadseni ainda não foram descritas por completo e A. tendagurensis foi supostamente atribuído ao gênero, mas ainda há controvérsias e mais evidências indicando que não seria um Allosaurus.
Reconstrução de Allosaurus 
© Raúl Martín
O alossauro vivia no topo da cadeia alimentar no período jurássico, sendo o maior terópode da época e caçava todo tipo de dinossauro. Foram encontrados em placas ósseas do pescoço de um estegossauro marcas exatamente compatíveis com o focinho do alossauro e numa costela e vértebras de alossauro também haviam marcas de ferimento compatíveis com o espigão da cauda de estegossauro.
Allosaurus ataca Estegossauro
©
 Dorling Kindersley
Isso sugere que ele poderia caçar os estegossauros, mas não desprezava presas menores como os Dryosaurus ou os jovens e filhotes de saurópodes da época.
Allosaurus e Diplodocus em WwD Special, A balada de Big Al
© BBC
Pelo estudo dos fósseis de alossauro que se encontraram, pode ser criada a teoria de que ele crescia contantemente até os 15 anos, daí parava de crescer e viveria em média de 25 a 30 anos de idade. Se supõe isso pois fósseis de allosaurus de quase todas as idades foram encontrados entre eles um que tinha estrutura que prova que o alossauro aos 10 anos já estava em sua maturidade sexual. Não pode-se afirmar que viviam em bandos, o mais provável é que vivessem aos pares ou sozinho e caçasse por emboscadas depois de adulto e quando jovem perseguisse as presas, pois na juventude as pernas eram mais longas o quepermitia grande velocidade, estimada em 30 a 35 quilômetros por hora. Sua mandíbula não conseguia morder com muita força, calcula-se menos até que crocodilos e leões atuais, mas seu crânio era muito resistente a impactos o que era vantagem se quisesse cabeçear uma presa para derrubar e possuía na parte acima dos olhos pequenos chifres ou cristas progetados para cima de formas variadas, talvez a principal característica do alossauro. Tinha cerca de 60 a 70 dentes afiados e curvos para trás, com arestas.
O alossauro é, depois do Tyrannosaurus rex, o terópode mais bem conhecido, devido a quantidade de fósseis encontradas e réplicas de fósseis e esculturas dele em vida espalhadas ao redor do mundo em muitos museus.
Não apareceu nos mais famosos filmes de dinossauros já feitos, a trilogia de Jurassic Park, talvez para não ofuscar o brilho do antagonista principal T-rex, mas aparece como maior antagonista no livro de Sir Arthur Conan Doyle e nos filmes baseados nele. Nos documentários aparece no episódio 2 e no episódio 5 (neste episódio provavelmente não era realmente um Allosaurus) de Walking With Dinosaurs da BBC e no especial WWD A Balada de Big Al que retrata a vida do mais completo fóssil de alossauro encontrado em 2000 e 2001. No documentário When dinosaurs roamed America do Discovery Channel também aparece atacando os apatossauros e matando um Ceratosaurus.
Alossauros de When dinosaurs roamed America© Discovery Channel
Allosaurus de Walking With Dinosaurs© BBC
"Allosaurus Polar" de Walking With Dinosaurs© BBC
Allosaurus de "A balada de Big Al"© BBC

1 comentários :

Tirano Sauro Rex disse...

Ele é o meu 2° dinossauro preferido. Adoro ele! Tomara q se fizerem um JP 4 ele apareça. Vai ser muito legal.
Parabéns aí pelo post, ficoumuito bom.