Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



segunda-feira, 17 de março de 2008

Argentinosaurus

Os fósseis do gigantesco animal foram primeiramente encontrados por Sr. Guillermo Heredia, da fazenda "Las Overas" de Plaza Huincul, o qual avisou os paleontologistas sobre o achado. Primeiro foi extraída a tíbia do animal e armazenada no museu. Posteriormente, em 1989, a National Geographic Society financiou escavações que permitiram recuperar os restos do animal. A espécie Tipo de Argentinosaurus huinculensis foi descrita e publicada pelos paleontologistas argentinos José F. Bonaparte e Rodolfo Coria em 1993. Os fósseis foram encontrados na Província de Neuquén - Argentina, na Formação Huincul, em rochas datadas de cerca de 97 a 93 milhões de anos atrás, ou seja, a época Cenomaniana.
O fóssil Tipo inclui três vértebras dorsais anteriores, três vértebras dorsais posteriores, a primeira de cinco vértebras sacrais fragmentadas, algumas costelas, a tíbia direita. 
Uma única vértebra tinha um comprimento de 1,59 metros e a tíbia tinha cerca de 155 centímetros. Além disso, um fêmur incompleto foi classificado como pertencente ao Argentinosaurus foi medido e tem cerca de 1,18 metros, ou seja, seria maior ainda se completo. 
Todos estes tamanhos, comparados com outros animais permitem que os paleontologistas façam uma estimativa do tamanho do animal. 
As estimativas iniciais para o tamanho deste dinossauro era de 34,6 metros de comprimento com cerca de 80 a 100 toneladas de peso, mas comparando com outros dinossauros da família dos Titanossaurídeos, como Saltasaurus, Opisthocoelicaudia e Rapetosaurus, os paleontologistas chegaram à conclusão que o Argentinosaurus poderia ser menor, entre 22 e 30 metros de comprimento. O peso, de acordo com a estimativa de Mazzetta et al. (2004), seria entre 60 e 88 toneladas, sendo o padrão médio de cerca de 73 toneladas, fazendo deste o mais pesado saurópode conhecido de bons fósseis. As estimativas mais recentes apontam um peso de 83 toneladas.
Classificado como um saurópode, o Argentinosaurus é um titanossaurídeo, parente do Titanosaurus e Saltasaurus. Veja a classificação dele a seguir: Saurischia > Sauropodomorpha Sauropoda > Titanosauria > Andesauridae
O Argentinossauro, como todo exemplar do grupo dos Saurópodes, era pesadão e tinha um tamanho avantajado em relação aos demais animais das redondezas. Sua coluna vertebral tinha vértebras enormes, mas que para espanto dos paleontologista eram ocas. Mesmo assim deviam dar grande sustentação ao corpo do animal, funcionando com tendões resistentes que seguravam tudo como uma ponte pênsil. Suas pernas eram grossas e com pés largos, como colunas, para suportar o peso. O pescoço deveria ser enorme, assim como a cabeça. Um dado importante a saber, é que não foi encontrado mais que 10% do esqueleto do dinossauro, portanto muito de seu corpo é pura dedução. O crânio por exemplo, nunca foi encontrado, mas sabendo que ele era um titanossaurídeo, pode-se comparar com os crânios de seus parentes e analisar qual seria mais próximo do real crânio do Argentinossauro. Então para se criar um crânio dele, os paleontologistas aumentam em várias vezes um crânio de um dinossauro semelhante e adaptam de acordo com o que indicam os demais ossos. 
O Argentinossauro é tão grande, que para se fazer uma réplica do esqueleto dele completo o custo é muito alto. Até agora, poucos locais tem um exemplar e o primeiro a comprar uma réplica foi o Museu Ferbank de História Natural de Atlanta, que fica nos Estados Unidos. O custo da réplica foi de 1 milhão de dólares! 

Para ter uma ideia do tamanho veja ele próximo a alguns carros © Nathan Hale
Talvez, como alguns outros herbívoros, o Argentinossauro engolisse gastrólitos, pequenas pedras que ficavam no estômago. Estas pedrinhas (ou seriam pedronas no caso do Argentinossauro?), ajudavam a moer o alimento engolido, pois como o dinossauro não mastigava, os vários quilos de plantas que comiam ficavam fermentando no estômago, dentro do qual as pedras se esfregavam contra o alimento moendo o mesmo. 
Todo o este tamanho deveria servir para alguma coisa, neste caso, com predadores de 15 metros nas redondezas a todo momento é muito bom ter como se defender. Talvez outra defesa, fosse viver em bandos, para que um possa defender o outro dos predadores. 
Argentinosaurus caminhando em bando
© Raúl Martín

Um mistério é a forma como estes grandes animais botavam ovos sem quebrá-los, pois se caíssem direto, a altura os quebraria. Pode ser que se inclinassem para botar ovos como podemos ver na imagem abaixo, onde um saurópode de espécie indeterminada, bota ovos desta forma. 

Saurópode agachado durante a postura dos ovos
© Nathan Hale
No documentário da BBC, sobre o qual falo mais abaixo, o Argentinosaurus aparece no ato da postura e os ovos caem do alto mesmo, mas devido à espessura da casca eles não quebram. No entanto é pura especulação, não se sabe ao certo como faziam para botar os ovos, pois se a casca fosse muito grossa os embriões não poderiam respirar e nem quebrar a casca na hora de eclodir, acabando por morrer no ovo.
Argentinosaurus botando ovo - Observe o ovo redondo caindo
© BBC
O Argentinossauro é importante para a pelontologia porque marca um limite ao crescimento dos dinossauros. Nunca se achou nada maior que apresentasse bons fósseis. Até a descoberta de novos dinossauros gigantes, o Argentinossauro pode ser considerado o maior em peso e comprimento.
Um concorrente em tamanho seria o Bruhathkayosaurus, encontrado na Índia, estimado em 40 metros de comprimento. O saurópode mais longo seria o Amphicoelias, estimado em 60 metros de comprimento, porém ambos os citados acima não tem bons fósseis preservados e suas estimativas são baseadas em poucos ossos fragmentados. No caso do Amplicoelias, os restos se resumem a duas vértebras e um fêmur, mal conservados, porém hoje não são citados porque os fósseis estão perdidos, ninguém os consegue encontrar e por isto o estudo não torna-se válido.
Hoje em dia o Argentinossauro é bem reconhecido, principalmente pela fama de grandalhão. Ficou mais conhecido depois que a rede BBC gravou um documentário chamado "Walking with Dinosaurs Special: Giant Claw and Land of Giants", contendo dois episódios especiais, dos quais um é chamado "Land of Giants" (Terra de Gigantes). Neste episódio, o apresentador Nigel Marven volta à Patagônia do período Cretáceo, onde encontra este gigantesco animal, viajando em bandos para chegar até uma área de desova. No caminho existem alguns "problemas" conhecidos como Giganotosaurus, o maior carnívoro já descoberto no continente Americano. Na Argentina do período Cretáceo, o Giganotossauro procura dinossauros menores para comer durante a maior parte do tempo, como visto no documentário, na cena em que come um herbívoro chamado Telenkauen, um iguanodontídeo. Porém, na época de migração dos Argentinossauros para botar os ovos, os carnívoros sabem que haverá uma presa maior para ser abatida, então formavam grupos de vários indivíduos e atacavam o saurópode, que mesmo com uma enorme massa corporal, não suporta diversos ataques seguidos, que vagarosamente vão esgotando as forças de seu corpo, até que este não seja mais do que um banquete aos outros animais.

Um ataque de um bando de Giganotosaurus a um Argentinosaurus adulto © Todd Marshall
Argentinosaurus de Land of Giants
© BBCNigel Marven próximo ao crânio de um Argentinsaurus morto
© BBC

Outro documentário, menos sofisticado do que o da BBC, mas igualmente interessante, é o Dinossauros 3D: Gigantes da Patagônia, que também traz o Argentinossauro como um dos animais. 
Argentinosaurus de Gigantes da Patagônia
©
IMAX
Argentinosaurus de Gigantes da Patagônia ©
IMAX
Fontes

5 comentários :

Henrique disse...

Bem bom o texto, mas, existe algum animal maior do q o argentinossauro(ja descoberto)???E qual foi o maior carnivoro(ja descoberto)???

Ikessauro disse...

Olá Henrique
Existem rumores, como eu já postei aí, sobre o Amphicoelias e sobre o Bruhatkaiosaurus (ou seria Bruhatkainosaurus?). Eles supostamente seriam maiores, mas o material coletado é muito fragmentado e em quantia pequena. O Argentinossauro é considerado o maior por muita gente. Já o maior carnívoro seria o Spinosaurus, com cerca de 17 metros de comprimento.

danib0y disse...

Parabéns pelo ÓTIMO texto! Muito elucidativo!
Gostaria de saber se o documentário que vc comentou no texto da BBC - "Walking with Dinosaurs Special: Land of Giants" - já existe aqui no Brasil para compra.
Vc sabe de algum detalhe sobre isto? Alguma loja já está vendendo este documentário em DVD???

Meus parabéns de novo! :)

Ikessauro disse...

Oi
Não há versão original no mercado brasileiro. Disponibilizo uma cópia do original, legendado em português aqui no blog se vc quiser. Entre na Dino Loja pelo menu ou pelo banner COMPRE UM DVD. Lá vc confere tudo sobre este documentário, resumos, imagens e ainda dados para comprá-lo.

lucas disse...

hum meu sauropode pre ferido e o mais alto de todos o grande sauroposseidom com seus 25 metros de altura engula essa argentina .