Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Gigantspinossauro

Gigantspinosaurus
© Kawasaki Satoshi Esqueleto montado no museu Chinês
© Não conheço o autor da foto: informe se conhece

Nome científico: Gigantspinosaurus sichuanensis
Significado do Nome: Lagarto de Espinhos Gigantes.
Tamanho: 4 metros de comprimento, altura devia ficar em torno de 2 metros.
Peso: provavelmente cerca de 1 tonelada.
Alimentação: Herbívora.
Período: Final do Jurássico.
Local: China.

Veja onde acharam o Gigantspinosaurus!
© Mapa modificado por Patrick Król Padilha Veja quando viveu o Gigatspinosaurus!
© Patrick Król Padilha

Este pequeno herbívoro viveu na China, encontrado na Formação Upper Shaximiao de Zigong, Sichuan, ele media em torno de 4 metros de comprimento e sua altura pode ser que variasse entre 1,5 a 2,5 metros. Seus restos fossilizados contém um esqueleto parcial, pés traseiros, cauda e um crânio incompleto, composto apenas da mandíbula inferior com alguns dentes As vértebras encontradas eram variadas, sendo 3 cervicais (do pescoço), 16 dorsais (costas) e 4 vértebras sacrais (cauda). Dentre ossos da perna estavam o humero, ulna, metacarpos entre outros ossos do pé e também no fóssil continha pelvis com ílio, isquio entre outros ossos, juntamente com 4 placas dérmicas e 2 espinhos ósseos enormes, que mediam duas vezes o tamanho de sua escapula. As placas e espinhos indicam a principal característica dos estegossaurídeos. Também encontraram impressões de pele deste animal, veja na foto abaixo.
Pele do Gigantspinosaurus
© Não conheço o autor da foto: informe se conhece
Este dinossauro foi descrito e nomeado em 1992 por Ouyang, mas é considerado como nomem nudum (que do latim significa Nome nu ou pelado, porque o animal foi nomeado, mas não possui o estudo publicado oficialmente na comunidade científica). Porém, seu esqueleto montado no Museu dos Dinossauros de Zigong desde 1996, contém grande parte composta pelo fóssil original, permitindo estudos detalhados. Como não há descrição oficial, o único estudo feito sobre o bicho contém uma breve descrição do material encontrado.
Este dinossauro deveria viver calmamente, talvez em bandos ou com apenas um parceiro vagando nas planícies da China do final do Jurássico. Talvez convivesse com gigantescos saurópodes, como o Shunosaurus, um dino com pescoço longo e clava na cauda, como você vê na imagem abaixo.
Gigantspinosaurus em primeiro plano e dois Shunosaurus ao fundo
© Phil Wilson
O animal recebeu o nome de Gigantspinosaurus, que significa Lagarto de Espinhos Gigantes. Seu nome nos faz lembrar e outro dinossauro, o Spinosaurus (Lagarto espinho), mas que nada tem a ver com este, pois este é um herbívoro calmo, um estegossaurídeo, o outro pelo contrário era um predador carnívoro, inclusive viveram em locais e épocas diferente.
Como outros estegossauros, era herbívoro e usaria seu bico para cortar plantas duras se necessário. Em caso de ataque por parte de um predador, seu corpo seria muito bem protegido por suas placas e seus enormes espinhos do ombro, sem falar nos da cauda que talvez fossem usados para golpear o inimigo. Veja na foto abaixo um encontro entre um terópode e Gigantspinosaurus.
Gigantspinosaurus usa a cauda para defesa
©
Chuang Zhao
Talvez as placas deste dino fossem coloridas também, para atrair fêmeas, ou espantar rivais. Também pode ser que servissem como reguladores térmicos, ajudando a captar calor ou dispersar quando necessário. Além destes dados, pouco encontrei sobre este dinossauro, mas sabemos que deveria parecer com os outros estegossauros. Embora muitas características deste dinossauro fossem parecidas com as de outros dinossauros com placas, ele tinha diferenças na coluna vertebral, tendões ossificados que reforçavam o dorso, o que não foi observado em outros animais do grupo, além de ter traços mais primitivos do que os maiores dinos de placas, podendo ser considerado o mais primitivo dos estegossauros. Outra curiosidade é o fato de que o osso de uma das pernas do fóssil parece ter sinais de fratura, que deve ter feito o animal sofrer por algum tempo, embora não tenha causado sua morte.

Fontes

3 comentários :

incognito disse...

vou falar, o autor da primeira imagem é um camarada chamado Kawasaki Satoshi, pesquise

Patrick disse...

Obrigado. Já postei na foto o nome dele. Há uns dias procurei o nome dele no Google por causa de outra imagem legal que vi, mas não achei o site dele, se é que existe. Se tem deve tá em japonês ou algo assim...

incognito disse...

é um prazer ajudar, falando nisso, analisei algumas postagens e vi imagens do mesmo estilo desse autor e sim, o site oficial dele é em japonês,apesar de não me lembrar da homepage!