Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Primeiro Apocalipse (First Apocalipse)

© The History Channel
Há muitos anos os cientistas vem tentando encontrar uma resposta para a dúvida a respeito da extinção em massa do Cretáceo - Terciário e jamais se chegou a uma teoria cuja coerência seja perfeita e tenha aceitação unânime perante a comunidade científica. Mas teorias existem, diversas delas, cada uma carregando uma legião de adeptos. É sobre este assunto que o documentário de 1 hora e meia de duração do History Channel trata, um apanhado sobre as teorias da extinção que tem mais prestígio e relevância. O evento K-T foi um verdadeiro caos, uma catástrofe tão terrível de exterminou a maior parte da vida na Terra, foi um verdadeiro apocalipse! Para ver o resumo do documentário e algumas fotos, clique para expandir a postagem.

O documentário começa explicando e questionando a principal e mais aceita teoria da extinção dos dinossauros, que é a queda de um meteoro gigante no Golfo do México no final do período Cretáceo.
Dinossauros do final do Cretáceo
©
The History Channel
Analisando o tamanho do objeto, onde caiu e quais são seus efeitos, diversos pesquisadores de renome na paleontologia dão sua opinião a respeito da colisão, outros explicam o que ocorreu e alguns ainda nos mostram o que não pode ter acontecido, dando uma boa noção a nós de como foi a queda do meteoro, se é que realmente ocorreu.
Bando de Alamossauros
© The History Channel
Alguns dizem que não matou todos os dinossauros, que só matou algumas espécies e que o frio causado pela falta de sol não afetou tanto os dinossauros e que alguns dados estão faltando para tornar a teoria algo mais concreto, faltam provas fósseis e alguns ainda acreditam, especificamente R. Bakker, que os dinossauros parecem já estar mortos antes da queda do corpo celeste, que eles já haviam morrido e o meteoro caiu logo em seguida. Essas e outras ideias são abordadas na primeira parte, focada na queda do meteoro.
Bando de Alamossauros
© The History Channel
Mas se o meteoro não deu conta de exterminar os dinos, o que foi que fez com que todos, ou pelo menos a maior parte, fosse varrida do planeta Terra? No documentário, uma boa hipótese é apresentada, trazendo para a discussão a possibilidade de que as doenças acabaram com os dinossauros. Doenças transmitidas por insetos eram fatais, pois os dinos não conseguiam espantar os insetos que os picavam, devido ao fato de não terem membros ou cauda adaptada para isso, algo como os cavalos de hoje fazem com a cauda, espantando os mosquitos com abanadas da mesma.
© The History Channel

Sem uma cauda assim para espantar os mosquitos, os dinos eram alvos fáceis de picadas, concentradas perto dos olhos, narinas e boca, onde a pele deveria ser mais mole e fina e assim, os insetos transmitiam vírus e parasitas aos grandes répteis que logo contraíam doenças. Outro modo de contrair parasitas era pela comida, ou seja, supondo que um inseto, como uma barata, esteja com parasitas em seu corpo. Um dinossauro come a barata e fica infectado e assim passa a ser afetado pela doença que tal parasita aflige aos hospedeiros.
O Meteoro criou muitas ondas de choque que arrastava os dinossauros
© The History Channel

Se o dinossauro morre, sua carcaça servirá provavelmente de comida para outros animais, que automaticamente serão infectados ao comer a carne do animal doente.
Isso propagaria uma pandemia de certa doença que poderia matar muitos animais, mesmo grandes, como os Saurópodes. Outro fator que pode ter desencadeado surtos de doenças é a baixa do nível do mar, que mudou a geografia do planeta, expondo faixas de terra antes submersas e que então se tornaram pontes de migração, permitindo aos dinossauros, por exemplo, da América do Sul, migrar até a América do Norte. Os animais chegavam em novos ecossitemas levando suas doenças e parasitas, aos quais já estavam acostumados, porém chegando lá, passavam as doenças aos habitantes daquele lugar e se contaminavam com as doenças dos mesmos. Como nenhuma das populações estava acostumada com as novas doenças, sofriam e morriam facilmente, porque seu sistema imunológico estava despreparado para o novo tipo de enfermidade que surgia.
Dinossauro bico de pato sofrendo com a doença
©
The History Channel

Assim imaginam alguns pesquisadores, que minúsculas criaturas, como os vírus e parasitas, podem ter dizimado milhares de dinossauros, mas ninguém tem como provar isto totalmente e por isso alguns trazem outras teorias sobre a extinção para que complementem o que falta nas teorias antigas.
Uma nova hipótese é a de que um intenso vulcanismo onde hoje é a Índia começou a jogar lava em enormes quantidades para fora da terra e simultaneamente expelia gases com alto nível de toxidade, que matavam animais que ali viviam e ainda provocavam chuvas ácidas, morte de plantas e o bloqueio da luz do sol. Para piorar, acredita-se que a erupção não era rápida, durou milênios, com pequenos intervalos em calmaria, nos quais a vida se recompunha, parcialmente pelo menos, até que nova erupção destruía tudo.
Triceratops
© The History Channel

Um cientista propôs que outra causa para a extinção pode estar fora da Terra, no espaço, e que seria uma espécie de cinturão de meteoros, situados na borda do nosso sistema solar e que a cada 26 milhões de anos causaria uma extinção em massa no planeta com os impactos de alguns dos meteoros que bombardeariam nosso globo. Mas isso não foi comprovado e ainda é uma teoria muito vaga, assim como a teoria de que a explosão de uma estrela grande, como ou maior que o nosso sol, que ao ficar sem combustível para queimar, explode formando uma supernova, que jogaria contra a Terra uma energia capaz de destruir parte da atmosfera e a camada de ozônio, expondo a biosfera aos efeitos nocivos da radiação solar, que cegaria animais e causaria queimaduras, tumores entre outros tipos de doenças e ferimentos.
Triceratops
© The History Channel
Muitos cientistas acham que a teoria da supernova é bem improvável, que a chance de isso ocorrer é muito remota e que é mais provável que a extinção foi causada por uma combinação de fatores, como a mudança climática e a deriva continental, que eram acompanhadas pelas erupções da Índia e que isso causava a dispersão de doenças, pois como dito, surgiam pontes de terra entre continentes, permitindo a migração. Justify Full
O T.rex viu a extinção de perto
© The History Channel

A partir disso a Terra já estaria condenada a perder a maior parte da sua biodiversidade, mas que a coisa ficaria ainda pior com a queda do meteoro em Yucatán e que isso seria a gota d'água no copo que já estava transbordando, dando início ao primeiro apocalipse!
© The History Channel

Fonte
  • DVD O Primeiro Apocalispe

0 comentários :