Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Sinornithosaurus millenii: o primeiro dinossauro venenoso

Crânio do Sinornithosaurus: observe a parte oca acima dos dentes com sulcos
© National Academy of Sciences
Para a felicidade dos amantes de Jurassic Park com seu Dilophosaurus venenoso, cientistas finalmente descobriram traços que indicam a capacidade de injetar veneno nas presas. O animal é o pequeno terópode chinês Sinornithosaurus millenii.
Para saber mais sobre a descoberta, acessem o texto completo expandindo a postagem e saiba quais as características que permitiam ao dinossauro utilizar este tipo de vantagem contra presas e predadores.

Análises em seu crânio e na forma de seus dentes mostram que o animal tinha alguns dentes sulcados (ocos como um canudo) igual ao que nota-se nas serpentes venosas atualmente e seu crânio tinha logo acima dos dentes sulcados, uma cavidade que pode ter servido para abrigar veneno.
Foi na última edição do periódico Proceedings of the National Academy of Sciences que os cientistas publicaram a descoberta, com dados bem mais detalhados evidenciando tal teoria sobre o Sinornithosaurus, cujo nome significa "Lagarto Pássaro Chinês" e que viveu durante o período Cretáceo Superior, há aproximadamente 99,6 a 65,5 milhões de anos.
Os pesquisadores acreditam que outros dromaeossaurídeos, parentes do Deinonychus e Velociraptor, assim como dos dinos parecidos com ave como o Sinornithosaurus, podem ter sido venenosos também.
Uma característica do Sinornitossauro que nos dá uma dica clara da sua capacidade de injetar veneno é que os dentes da frente são tão longos e parecidos com presas que parece que o animal é um "dino dentes de sabre", dizem os cientistas.
Observe os dentes longos do Sinornithosaurus
© Ville-Veikko Sinkkonen

O geologista da Northeastern University de Liaoning na China e sua equipe examinaram crânios de dinossauros armazenados no Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleoantropologia da China assim como os fósseis do Museu de História Natural de Dalian e no Museu de História Natural de Tianyu.
Observações com microscópio revelaram algo nada visto antes: o osso da parte de cima da mandíbula tem um espaço que pode ter abrigado a bolsa de veneno do animal, que unidos às características de dente oco igual à das cobras venenosas atuais, sugerem o modo de funcionamento do sistema injetor da peçonha.
Segundo os paleontólogos, o animal deve ter mordido a presa e a pressão dos músculos sobre a bolsa de toxina o faria ser espremido, o que provocaria a saída do veneno pela única válvula de escape disponível, que era o buraco do dente oco. Como o dente estaria dentro da pele da presa, o líquido tóxico para a presa era automaticamente era injetado. A equipe suspeita que ele alimentava-se de pássaros ou pequenos animais, que ao serem mordidos entravam em choque, não morriam, mas ficavam em uma espécie de paralisia, para que assim o dinossauro usasse seus dentes traseiros mais curtos, grossos e afiados, adaptados para cortar, para destroçar a vítima.

Fonte

1 comentários :

Henrique disse...

Que diferente essa "habilidade", achei mais parecida com o "compy assassino" do livro Jurassic Park, o texto esta bem interessante, parabens pelo blog vissiante, como idsse o Victor...