Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Europelta carbonensis: um novo anquilossaurídeo europeu

Europelta em seu hábitat natural
© Andrey Atuchin
Faz tempo que não ouço falar de uma descoberta tão significante do grupo dos Anquilossauros, os dinossauros encouraçados. Mas hoje saiu uma notícia de que um novo gênero e espécie de dinossauro foi nomeado numa publicação do PLoS ONE. Os autores do trabalho são James I. Kirkland, Luis Alcalá, Mark A. Loewen, Eduardo Espílez, Luis Mampel e Jelle P. Wiersma. O dinossauro foi encontrado em uma mina de carvão na Espanha e foi nomeado de acordo. Entenda o que isso quer dizer e conheça em detalhes o novo dinossauro lendo o resto da postagem.

O dinossauro herbívoro foi achado desarticulado, ou seja, seu esqueleto estava todo desmontado, assim mesmo sendo o anquilossaurídeo mais completo já encontrado na Europa. Seu nome é claro é uma alusão ao seu local de origem, "Euro" = "Europa" e também ao seu grupo ou aparência, pois a palavra "Pelta" vem do Grego que significa "Escudo". O nome então se traduz como "Escudo Europeu" ou "Escudo da Europa". O nome (epíteto) específico "carbonensis" se refere à mina de carvão Santa Maria, local onde o dinossauro foi achado, também homenageando a Sociedad Anónima Minera Catalano-Aragonesa (SAMCA) que permitiu o acesso ao local para coleta do material.
O fóssil foi depositado na Fundación Conjunto Paleontológico de Teruel-Dinópolis/Museo Aragonés de Paleontología (FCPTD/MAP) e consiste de um crânio quase completo, ossos nasais direito e esquerdo isolados, fragmentos do dentário, dentes isolados, várias vértebras caudas e dorsais, parte da pélvis, escápula, úmeros, ísquio entre outros fragmentos, além de inúmeras osteodermas.
Reconstrução do esqueleto do Europelta
© Kirkland et al
Estima-se que as rochas onde o fóssil estava depositado sejam do período Cretáceo, idade Albiana, por volta de 110 milhões de anos de idade, parte da Formação Escucha, no oeste da Espanha. Parece que ao todo foram encontrados 4 esqueletos parciais do dinossauro nessa região.
O animal teria cerca de 5 metros de comprimento e 1 metro de altura, tamanho médio para um anquilossaurídeo, vivendo em uma região pantanosa próxima ao litoral, onde habitavam répteis como crocodilos e tartarugas diversas. 
Neste pântano subtropical se formou o carvão que hoje é extraído, a partir da matéria vegetal em decomposição em ambiente tão úmido. No mesmo sítio já foram achados crocodilos e até outro dinossauro chamado de Proa valdearinnoensis, um tipo de ornitópode. Acredita-se que se haviam anquilossaurídeos como este nesta região, em algum ponto da história devem ter existido pontes de terra entre a América do Norte e a Europa, principalmente no Cretáceo em que o Atlântico era mais estreito, permitindo a migração destes grupos de dinossauros entre os continentes.
Além disso, a presença destes herbívoros neste hábitat deve ter atraído carnívoros, que ainda não foram encontrados no registro fóssil local, mas espera-se que no futuro possam encontrar algum grande predador na região.





1 comentários :

Luiz Guilherme disse...

Muito fera hein, grande Patrick. Gostaria de sugerir pra uma postagem futura, que você divulgasse sobre o Siats Meekerorum o recém-descoberto predador. Você certamente já leu sobre ele, e acho que os visitantes do seu blog achariam muito interessante.
Parabéns pelo blog acho sua disposição de divulgação e paixão pelo assunto muito respeitáveis.