Às vezes o conteúdo que você procura não está na primeira página. Seja um paleontólogo no Ikessauro e procure aqui o conteúdo que deseja!



sábado, 9 de janeiro de 2010

Predadores Pré-históricos/Caçadores Pré-Históricos (Prehistoric Predators/Prehistoric Hunters)

© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Hoje retornei aos documentários e resolvi postar sobre mais uma série muito boa do National Geographic Channel, cujo foco são os predadores pré-históricos, especificamente os predadores "não dinossauros" do Cenozóico, como o Tigre-dentes-de-Sabre e o tubarão Megalodon, assim como as Aves do terror entre outros. A série é composta de 7 episódios, cada um retratando a vida, os possíveis hábitos do animal enquanto predador. Clique para expandir a postagem e confira tudo sobre a série.


No Brasil a série começou a ser exibida com o título Predadores Pré-Históricos (Prehistoric Predators) porém o nome posteriormente foi mudado para Caçadores Pré-Históricos (Prehistoric Hunters), porém trata-se da mesma série. Note a diferença da abertura na primeira foto para esta logo abaixo.
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Os animais retratados como foco principal dos episódios são:
  • Tigre-dentes-de-sabre (Smilodon fatalis)
  • Megalodon
  • Aves do Terror (Kelenken guillermoi e Titanis walleri)
  • Urso de cara achatada
  • Lobo Pré-histórico (Dire Wolf)
  • Hyaenodon
  • Entelodon

Abaixo faço um breve resumo de cada episódio com fotos inclusas, de cenas e do disco que disponibilizo à venda aqui no blog. Cada episódio dura aproximadamente 45 minutos e é dublado, ou seja, áudio em português. Eu não sei a ordem original dos episódios, por isso postarei os resumos em ordem aleatória, sendo que ao lado do título em português, colocarei o título original entre parênteses.

Tigre-dentes-de-sabre (Sabre Tooth Cat): Este episódio é focado em análises do Smilodon fatalis, o felino de dentes de sabre norte-americano, o maior da região. Com bases em diversos fósseis encontrados em um poço de alcatrão, o famoso sítio fossilífero de La Brea que fica no meio de Los Angeles os paleontólogos tentam imaginar como viveu o mamífero. O que ele comia? Mamutes, Bisões e Preguiças gigantes estão entre os itens do menu. Vivia só ou em bandos? Como atacava? Usavam os dentes caninos gigantes ou as garras? Seus dentes eram muito fortes ou quebravam fácilmente? Qual a força da mordida? Por que foram extintos? Durante a narração dos paleontólogos vemos cenas do Smilodon em seu ambiente natural, contracenando com os Bisões, Lobos, Mamutes, Urso e a Preguiça gigante, assim como com o homem pré-histórico. Testes com modelos virtuais e réplicas em metal do crânio do Smilodon fatalis demonstram como atacava e qual parte do corpo preferia, tudo devido ao tamanho dos dentes, ângulo em relação à mandíbula inferior e outros aspectos do bicho.
Mamutes © National Geographic Channel/Screeshot by IkessauroSmilodon © National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Smilodon caçando © National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Dentes de Sabre: armas poderosas ou dentes frágeis? © National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Aves do Terror (Terror Raptor): O episódio que trata das aves mais incríveis de todos os tempos nos dá uma ideia de como viviam estes animais, que surgiram na América do Sul e migraram para a América do Norte com a formação do Ístimo do Panamá. Como representante dos primeiros exemplares, destas aves, conhecemos o Kelenken, a mais alta ave do terror que já viveu, cujo habitat abrangia boa parte da América do Sul. No norte, o exemplar é o Titanis, encontrado na Flórida. Conhecemos algumas teorias sobre os hábitos predatórios das aves, como caçavam e o que caçavam, como comunicavam-se, se eram inteligentes, qual tamanho atingiam e quais seus problemas no ecossistema em que vivia, além de hipóteses tentando explicar como/porque foram extintas. O mais legal deste episódio são as cenas de caçadas e de lutas da ave com outros predadores.
O Titanis chuta um Lobo pré-histórico
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Diversas espécies de Ave do Terror
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Kelenken guillermoi: a maior Ave do Terror
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro
Crânio de uma Ave do Terror
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Porco Assassino (Killer Pig): Durante o Oligoceno um animal dominava as planícies norte americanas, o Entelodon era o carnívoro supremo, tanto podia caçar quanto roubar presas de outros predadores, usando um corpo super forte, mandíbulas e pescoço poderosos e dentes temíveis. Comia de tudo, triturando até mesmo ossos de suas presas. Com o fim do Oligoceno e as mudanças climáticas, no Mioceno o Entelodon foi substituído por seu descendente, o Dinohyus, igualmente forte e bem equipado para matar, mas muito maior, chegando a 2 metros de altura. Em aparência são parecidos e em comportamento também, mas de qualquer forma foram extintos devido provavelmente à competição por comida com predadores recém vindos da ásia, como o Cão-urso. Aprendemos como funcionavam seus músculos e mandíbulas, como era seu cérebro e suas principais armas. Sem dúvida é um dos melhores episódios.
Dinohyus: o maior dos Entelodontes
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Archaeotherium (apresentado no episódio apenas como Entelodonte)
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

O Archaeotherium tem poderosos músculos no pescoço

© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Archaeotherium comendo
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro


Mandíbulas de Navalha (Razor Jaws): O carnívoro Hienodonte, habitou a América do Norte durante o Oligoceno junto com o temível Entelodontídeo Archaeotherium e o Cão-Urso e por isso sua vida não era nada fácil. Aquelas planícies eram habitadas pelos Mesohippus, cavalos primitivos pequenos e o ancestral do camelo, rinocerontes sem chifre e um ancestral das ovelhas chamado Oreodon. Em resumo, as planícies tinham presas fartas para diversos predadores, dos quais o Hyaenodon era um dos maiores, senão o maior. Com suas mandíbulas adotadas de dentes cortantes que preservavam esta capacidade durante toda a vida, músculos poderosos que permitiam morder com força e um corpo avantajado, as várias espécies de Hyaenadon sobreviveram na Terra por mais de 10 milhões de anos, enfrentando duros obstáculos para sobreviver. Infelizmente as mudanças climáticas e a evolução de suas presas tornaram o Hienodonte um predador obsoleto que acabou encontrando a extinção.
Hayenodon
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Hyaenodon e sua presa
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Hyaenodon caçando um cavalo primitivo
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Hyaenadon atacando a presa
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro


Urso-de-cara-achatada (Bear): Este enorme urso viveu na América do Norte durante o Pleistoceno, dividindo território com Mamutes, Bisões, Preguiças Gigantes, Felinos de dentes de sabre e Lobos, assim como ancestrais do Cavalo e Camelo. Era grande, forte, medindo 1,8 metros de altura sobre as quatro patas, mas quando ficava em pé nas pernas traseiras, passava de 2 metros de altura, assustando qualquer outro animal da região. Não era rápido e adaptado para caçar ativamente, mas sobrevivia roubando a caça de outros predadores que espantava com seu tamanho e força. Foi provavelmente extinto devido às mudanças climáticas, que modificaram o clima, alterando a vegetação, o que provocou a morte de muitos mamíferos herbívoros. Sem estes herbívoros, Lobos e Felinos ficaram sem presa e morriam e sem ter de quem roubar comida, o Urso de Cara Achatada sofreu para conseguir alimento, acabando por ser extinto.
O Urso de Cara Achatada
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Lobo Terrível: devia competir com o Urso por comida
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

O urso mostra sua ferocidade
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro


Lobo Pré-Histórico (Dire Wolf): O Lobo pré-histórico do período Pleistoceno, era um predador feroz e inteligente, coordenado, pois caçava em matilhas com vários indivíduos, atacando presas grandes como Bisões e Cavalos. Também chamado de Lobo Terrível, este animal competia por alimento com os maiores predadores da região, incluindo o Smilodon, o Urso de Cara Achatada e seus parentes próximos, Lobos Cinzentos, que naquela época já existiam. O Lobo terrível dava conta dos Lobos Cinzentos, menores e menos numerosos, mas geralmente evitava brigas com os felinos e o urso, a não ser que estivesse em grande vantagem numérica. Mais de 3.000 lobos já foram achados em La Brea Tar Pits, no centro de Los Angeles e isso prova que eram animais numerosos. Este episódio da série explica tudo o que poderíamos saber sobre este exímio predador.
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

A matilha caça um Bisão
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

A matilha defende sua comida do Urso
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro


Tubarão Monstro (Monster Shark): Neste episódio aprendemos sobre o maior tubarão que já existiu, o Megalodon. Podemos ver o quão raros são seus fósseis e porque é difícil definir a aparência exata dele. Vemos um pouco da história da descoberta do Megalodon através dos séculos e qual era seu possível comportamento, provavelmente de um predador furtivo que armava emboscadas. Qual era o tamanho dele? O que caçava e onde viveu? Porque foi extinto? Essas e outras perguntas intrigantes são respondidas neste episódio incrível de Predadores Pré-históricos.
Megalodon
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

A mandíbula dá uma ideia do tamannho do animal
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

Um esqueleto feito predominantemente de cartilagem: péssimo para formar fósseis
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro

O Megalodon atacando uma baleia da época
© National Geographic Channel/Screeshot by Ikessauro



De um ponto de vista geral, a série aborda vários dos maiores predadores que surgiram depois dos dinossauros, a maioria mamíferos, mas aves e peixes também. Estes episódios são muito bons porque tem muitas cenas de computação gráfica retratando os animais em vida, caçando, morrendo, protegendo a própria comida. Ao mesmo tempo, as cenas são intercaladas com depoimentos e explicações dos paleontólogos especialistas nestes animais, que nos mostram como fazem para estudar cada tipo de animal. Recomendo a todos que gostam de paleontologia, especialmente aos amantes de mamíferos extintos, ou para aqueles que conhecem pouco sobre estes e querem aprender mais. Caso queiram alguns papéis de parede da série, acessem o site oficial, o link está no fim da postagem.

Fontes

7 comentários :

Mundo dos bichos disse...

Esse documentario é muito legal, não perdi um episódio. Valea pena assistir!

IcaroLima disse...

Oi Patrick,o que voce achou ou que nota da para está série?

Ikessauro disse...

Oi Icaro
Em uma escala de 0 a 10 eu daria 8 para esta série! É muito legal!

lore disse...

Oi Patrick, você sabe de algum n link(principalmente no youtube)com esse documentário legendado?

Tatinda disse...

Olá, gostaria de ver essa série, seja no Youtube, torrent ou por download. Se alguém puder me ajudar, agradeço muito.

animais mitológicos disse...

onde posso fazer o download seguro da série?

Patrick disse...

Não saberia dizer. Talvez no you tube.